Vinhos tintos bons e baratos abaixo de 60 reais

12 de abril de 2014 às 15:00

Pink Piggy Bank On Top Of A Pile Of One Dollar BillsAos poucos, as temperaturas quentes vão amainando e vai chegando o frio. De imediato, o mundo do vinho nos remete aos tintos, sobretudo no Brasil, que tem uma nítida preferência por eles. Muitos que me leem nesta coluna ou por e-mail me sugeriram falar de vinhos para o dia a dia, inclusive citando faixa de preços para facilitar a sua vida (não tenho o hábito de fazer, mas é usual nas colunas de vinhos). Pois bem, aqui está. É difícil falar sobre vinhos do dia a dia. Para uns, podem ser vinhos para o fim de semana, para outros, para festas. Então, vou comentar sobre vinhos de ótimo custo/prazer com preços até R$ 60 reais. Fui garimpar e achei uma verdadeira seleção mundial. Assim espero ter cumprido esta demanda.   

FRANÇA Os grandes vinhos de Bourgogne e Bordeaux têm altíssimos preços. Para mim, vinhos de ótimo custo/prazer são do Languedoc. Vinícolas como Paul Maas e Arrogant Frog com preços de R$ 50/55 são a grande pedida. Há cabernet sauvignon, syrah, grenache…

ITÁLIA A Itália se destaca por ter vinhos gastronômicos. Da Umbria, temos a vinícola Cardeto com o interessante vinho com a uva Sangiovese. Da bela Toscana, nada como provar um belo Chianti com predomínio da uva Sangiovese da Rocca Delle Maciè. Todos a R$ 50/55.

ESPANHA Os espanhóis caem sempre bem no gosto do brasileiro, sobretudo para os que gostam de vinhos com mais cor e madeira. O Prado Rey em Ribeira del Duero, a Luis Cañas na Rioja, o Pago de Circus na Navarra. Todos têm faixas de R$ 50/55 para seus Tempranillos. A Adega Muñoz na La Mancha tem alto custo/prazer (R$ 39/43).

PORTUGAL Sou fã de seus vinhos e pelas cerca de 200 uvas nativas diferentes que encantam. Portugal é um achado. No Douro, destaca-se o grande Domingos Alves (R$ 40/50). No Alentejo, a Plansel com seu Montemor (R$ 46). No Dão, a Quinta dos Roques (R$ 46). Na Bairrada, o estruturado da Kompassus (R$ 53). No Tejo, o Conde de Vimioso (R$ 56).

CHILE A forte preferência no Brasil é pelos seus tintos Carmenère, cabernet sauvignon e merlot e seus cortes/misturas. No garimpo de vinhos de custo/prazer abaixo de 60 reais, aqui temos grandes vinícolas: Terranoble (R$ 34) com seus reservas (R$ 48) e Yali by Ventisqueiro( R$ 31) e sua linha Wetland (R$ 44) e reservas (R$ 55). A estupenda De Martino (R$ 45/55) é um grande destaque nesta seleção, assim como a Caliterra (R$ 55).

ARGENTINA O Malbec argentino conquistou o mundo e no Brasil não é diferente. Foi uma bela sacada, ou melhor, gol dos “hermanos” o foco nesta uva francesa. Aqui, o pão quente de custo/prazer é a Luigi Bosca e sua linha unanimidade Finca la Linda (R$ 43). Da região de San Juan e seu syrah e malbec, sobretudo, temos a belíssima Las Moras (R$ 28/33) e seus reservas (R$ 45), todos belos vinhos. De Salta, o Amalaya da Hess (R$ 55) e da Patagonia, a Família Schroeder (R$ 53), que inclui nesta faixa o pinot noir. Outros grandes destaques no custo/prazer são a Argento (R$ 30/31) e seus reservas (R$ 55) e o Árido da Vistalba (R$ 42).

BRASIL  Dia a dia os vinhos tintos brasileiros, sejam catarinenses ou gaúchos, vão ficando melhores e os preconceitos vão sendo derrubados,na medida que aprendermos que são vinhos diferentes dos chilenos e argentinos.São mais gastronômicos,quando apresentam uma acidez mais elevada.E 2014 promete uma excelente safra. De SC ,dos vinhos de altitude ,prove a linha APARADOS da VILLA FRANCIONI(35) ou o JOAQUIM(50/55). Da VILLAGGIO GRANDO seus cabernet e merlot (45/50).DA QUINTA DAS NEVES seu cabernet e seu instigante corte com SANGIOVESE(45/50).Da PERICÓ ,seu BASALTO(45/50) corte de cabernet e merlot. De RS, a CAVE HERMANN e sua linha MATIZ vem surpreendendo com seus cabernets,touriga nacional e tempranillo ou com cortes/misturas (57). No RS nas regiões SUDOESTE,CHAMPANHA E SERRA GAÚCHA o grande destaque é a vinicola premium CASA VALDUGA.A maioria de seus vinhos são tops ,mas tem surpresas na nossa pesquisa.Suas linhas ARTE TINTO ( 30/35 )e DUETTO(40/45) são referências nacionais. A linha NATURELLE de vinho fino suave é um dos campeões de vendas(34/36). E ainda, para quem gosta de tomar uma taça por dia para acompanhar as refeições,tem bags de 5 litros de cabernet sauvignon seco ou demi-séc que uma vez aberto dura até 25 dias. 750 ml que é a medida da garrafa custa cerca de 16 reais proporcionalmente( o bag tem 5 litros). Até para os que tomam vinhos para a saúde este é interessante. (Os vinhos acima foram pesquisados em Joinville na Enoteca Decanter- Otto Bohem,246 e na De Marseille -Saguaçu,a 500 mts da Acij)

Bookmark and Share