SOBRE

 

Sempre fui amante de vinhos. Criança, via meus pais apreciarem e comercializarem vinho, na época ,vinho de mesa.  Ia passear quando garoto em Nova Trento/SC e hoje nunca me sai da memória o parreiral em frente a casa de meu tio Bepi( José) e dos tintos e brancos em garrafão que ele produzia daí.

Até os anos 70, parentes distantes mantinham a Cantina Irmãos Cadorin de vinhos com a marca Cadorin .Tenho garrafas cheias presenteados por amigos ,em minha adega ,incluindo um Cabernet e um licoroso. Visitando Vazzola, região de Treviso/Veneto/Itália, donde vieram meus avós paternos, na chegada, me deparei com Cadorins colhendo uvas para fazer o vinho.

No final da década de 80, como executivo, comecei a fazer viagens frequentes a Europa, quando no Brasil, falava-se pouco sobre vinho. E o vinho estava sempre em pauta. Durante estes anos e posteriormente em caráter particular, nas viagens de ferias, já visitei com minha família e/ou amigos, as principais regiões vinícolas do mundo (exceto Austrália e Nova Zelândia).

Desde 1992 minha mulher Odete atuava com a nossa empresa De Marseille Alimentos( fomos assim os pioneiros no Norte/SC na comercializacão do “croissant”,depois seguido pelo folhado,quiche,pão de queijo,empada,etc).

Passando já da casa dos 50 anos, aposentei-me como executivo e nossa atividade familiar passou a ser agora a De Marseille Alimentos e Vinhos Finos com varejo, atacado e representação, hoje comandada pela nossa filha Fernanda Paula, a Fê.Fui pioneiro em Joinville e região na elaboração de cartas de vinhos em restaurantes.

Falta portanto escrever um pouco, mesmo que não seja um livro,por ora.Já plantei muitas árvores e com minha mulher Odete temos duas maravilhosas filhas: a Thonia Carla, a Tho, que atua em seus projetos próprios com seu marido e gourmand Beto, grande companheiro. E a Fernanda Paula, que comanda a nossa empresa familiar De Marseille, empresa que em 2017 dez 25 anos. Em final de maio de 2014 a Fernanda se casou com o Guilherme, Gui, a quem prezo muito como genro e amigo.

Assim, eu e minha mulher Odete vamos estar pela primeira vez sós mas felizes por mais esta etapa da vida. A Odete é minha companheira inseparável deste 1977 quando casamos e esperamos curtir esta fase da vida com muita alegria e amor, juntos.  Penso de quando em quando escrever sobre os temas atuais de vinhos, gastronomia ,viagens  e aos poucos, assim que der vontade, escrever histórias por onde passei ao longo da vida.

De Laurentino/SC onde nasci, depois os anos de seminário no colégio Verbo Divino em Ponta Grossa/PR. Uma passagem breve de 6 meses por Curitiba e a ida a SP em 1968 para cursar a graduação em Adm. Empresas na EAESP/FGV de 1969 a 1974 e o CEAG (pós) na mesma escola de 76 a 77.

Vivi em SP no olho do furacão dos anos de chumbo da ditadura, como estudante e executivo já.

Ainda no final da década de 80, minha primeira viagem a Europa, como selecionado pelo setor de Comércio Exterior da Itália, num projeto da União Europeia para uma reciclagem profissional em Milão com diversos jovens executivos da América Latina.

Estudando em SP, jå atuava como executivo. Iniciei na Delloite, Haskins & Sells, em auditoria/consultoria em multinacionais, uma grande escola. Depois atuei em SP nas empresas Piramides Brasilia /Usina Santa Olimpia durante 7 anos.

A partir de 1979, voltamos para SC para ser colaborador dos grupos Hering (Blumenau) e Hansen/Tigre(Joinville).Trabalhei basicamente 7 anos em cada um destes grupos familiares. Na Hering também atuei no conselho de suas cooperativas de Credito (transformou-se numa grande Cooperativa de Credito) e na de Consumo (hoje uma cooperativa comandando uma rede regional de supermercados em SC, a COOPER). Também, numa ação comunitária, fui por 3 a 4 anos diretor financeiro, depois presidente do Centro Cultural Brasil-EEUU em Blumenau .

Há assuntos aqui palpitantes, como a guinada da Hering da camiseta branca para produtos de moda e as Hering Store. Vivenciei este embate desde o inicio, pois iniciei na subsidiária Omino Hering, precursora deste projeto.

Na Hansen, a divisão do Grupo, parte da família ficando com a Cipla, Tigrefibra e outras empresas. Vivi intensamente este período traumático, estando envolvido nas negociações.

Em 2002  idealizei e fundamos com amigos a Caves-Confraria dos Amigos do Vinho e do Espumante. Continuamos até hoje, somos um grupo de 24 pessoas, casais, com uma sólida amizade. Já fizemos em grupo diversas viagens pelas regiões vinícolas do mundo.

Para atualização no mundo do vinho,fiz durante 6 meses o curso de Sommelier no Centro Europeu em Curitiba,reconhecido pela ABS/ Brasil.Posteriormente  fiz o de Sommelier Internacional  pela Fisar/Itália e atualmente os primeiros módulos no Brasil do WSET de Londres.Completei recentemente o WSET level 2.

Também participo de uma confraria dos Grandiosos Vinhos de Joinville que se reúne a casa 6 meses, porque senão o orçamento não aguenta. E realmente tomamos grandes vinhos. E a degustação ē comandada simplesmente pelo grande Guilherme Corrêa, sommelier bicampeão brasileiro e finalista das Américas. Criei em 2016 o Clube dos Grandes Vinhos com 12 amigos, que nos reunimos trimestralmente no Espaço Enogastronomico De Marseille ,anexo a Enoteca Decanter e um dos amigos prepara o prato.

Também temos um grupo de gastronomia de 4 casais, o BC Gourmet , para alguns finais de semana por ano em Balneário Camboriú. Dos homens, dois já são muito craques na cozinha, e dois aprendendo, eu na rabeira. O que me salva é minha mulher Odete, que tem uma mão excelente na cozinha, herdada da Frau Strutz, sua mãe. Aliás ,minha sogra tem um histórico de comida simples mas bem elaborada e muito saborosa, o que me ajudou a entrar na família (rsrsrs).

Já na casa de meus pais, sobretudo pelo lado de minha nona(vó)  Bragagnolo (ela mesmo vindo de Verona/Veneto) e tambem pela  minha mãe, a comida herdada dos imigrantes italianos sempre foi muito frugal, simples e pouco elaborada .

Contei aqui um pouco de minha vida e vou ao longo dos anos no blog, na medida que sentir vontade, escrever algo sobre isso. Pelo menos para ficar para minhas filhas e netos(No inicio de 2015 nasceu nosso primeira netinha,a Amanda,filha da Thonia e do Beto,o que trouxe uma alegria nova nossa familia).

Eventualmente, também, algum desavisado lerá este blog,espero.

Nesta altura da vida,vou escrever do que gosto,portanto algo subjetivo,que seguramente não agrada a todos.

Posso falar de um vinho abaixo de R$ 60 reais que gostei assim como de um vinho muito caro.De um cachorro quente que gostei em um boteco até de um prato sofisticado num ótimo restaurante.

Só não farei críticas.Caso não goste,omitirei a informação ou focarei os pontos fortes e positivos.

Certamente, quando escrever algo, vai ser bem acompanhado por uma bela taça de vinho. Que tomarei pela saúde que proporciona e sobretudo pelo prazer.  E sempre celebrar a vida, junto com a Odete, minha companheira de muitas jornadas, filhas ,genros, neta e netos futuros e amigos queridos que temos e são muito importantes em nossas vidas.

Aldo Cadorin

Blog CA D’OR IN por quê: fiz uma associação livre com “CÔTE D’OR”, região de belos vinhos da Borgonha .